Notícias / Deputado Federal Kim Kataguiri palestrou sobre reforma da previdência

Uma parceria da UVEPAR com o IDL trouxe ao Paraná o Deputado Federal fundador do MBL. O evento contou com a presença de agentes políticos, empresários e pessoas de diversos setores. Na ocasião, o parlamentar debateu suas ideias sobre a reforma da previdência e respondeu perguntas da plateia.

 

 

 

Na noite desta última segunda-feira, 20, o Deputado Federal Kim Kataguiri (DEM) esteve em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, para debater sobre a reforma da previdência. A vinda do parlamentar foi organizada pelo Instituto Democracia e Liberdade (IDL), em parceria com a União de Vereadores. Na ocasião, estiveram presentes agentes políticos, empresários e pessoas de diversos setores da sociedade.

 

O Deputado Federal Kim Kataguiri (DEM) é parlamentar eleito com 465.310 votos em São Paulo e também fundador do Movimento Brasil Livre (MBL). Durante o evento, o deputado falou sobre a importância e urgência da reforma, trouxe explicações sobre a situação do atual sistema previdenciário, desmentiu ideias errôneas e esteve aberto a perguntas.

 

Para o presidente da UVEPAR, Júlio Cesar Makuch, discutir a reforma da previdência é fundamental. “Precisamos fazer a nossa parte e participar da discussão dessa pauta, que terá grande impacto no país pelos próximos anos. Temos que nos informar e estar a par das mudanças para melhor exercer nossa função de Agentes Políticos. Por isso nos organizamos para ajudar a trazer este evento, para proporcionar maior esclarecimento com relação ao tema”, disse.

 

A palestra

O deputado trouxe informações para a melhor compreensão da pauta, afirmando ser esta reforma a mais importante do país no momento. Segundo o parlamentar, o Brasil não mais consegue sustentar o sistema previdenciário como é realizado atualmente. “Primeiro por uma razão demográfica (...) Nós temos basicamente um problema de pirâmide. Para cada aposentado que a gente tem hoje, a gente precisa ter 5 trabalhadores.  Esses cinco trabalhadores vão se aposentar e a gente vai precisar ter mais 25 trabalhadores para sustentar estes 5 aposentados. E assim vai até chegar em um ponto em que o sistema está absolutamente insustentável”, disse.

 

Outro ponto apontado por Kataguiri é a questão da aposentadoria dentro do funcionalismo público, afirmando que quem sustenta o sistema é o setor produtivo, mas que o setor público não produz riqueza. O deputado explica que para cada um real depositado no Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) por um trabalhador da iniciativa privada, há no funcionalismo público este valor oito vezes maior. Complementou afirmando que funcionários públicos se aposentam, em média, 10 anos antes do que os da iniciativa privada.

 

Outra questão discutida foi o carácter de instrumento de justiça social atribuído à previdência. Explicou que países não levaram a frente uma reforma previdenciária no momento que era necessário, acarretaram a perda de direitos adquiridos, pois manterem uma situação insustentável. “Não adianta nada ter direito se você não tem dinheiro para financiar este direito. (...) direito sem dinheiro pode ser muito bonito, mas não põe um centavo no bolso no mais pobre isso”. Para o deputado, “é a última oportunidade de se debater a previdência sem falar de direito adquirido. Sem mexer em direito adquirido”.

 

Segundo o parlamentar, a questão das idades estabelecidas na pauta é praticamente consenso entre os parlamentares. Na aposentadoria rural, a mudança é a instituição da contribuição mensal, uma forma de dificultar fraudes já que deverá haver comprovação do trabalho como agricultor. Já as regras de contribuições progressivas estabelecidas devem passar sem alterações.

 


Data de Publicação: 21/05/2019