Notícias / “A luta por direitos iguais é contínua” diz presidente Coimbra de Moura em evento sobre a participação das mulheres na política.

“A luta por direitos iguais é contínua” diz presidente Coimbra de Moura em evento sobre a participação das mulheres na política.

 

Encontro “Justiça Eleitoral por Elas” foi realizado na última terça-feira (19) no auditório do edifício-sede do TRE-PR.

 

Na manhã de terça-feira (19), foi realizado o evento “Justiça Eleitoral por Elas” com o propósito de promover a igualdade de gênero e efetivar a participação feminina na política. O encontro, que aconteceu no auditório do edifício-sede, em Curitiba, reuniu representantes de partidos políticos, de instituições parceiras e pessoas interessadas, em especial, mulheres.

 

Clique aqui e Assista ao evento na íntegra pelo YouTube

 

“A luta por direitos iguais entre mulheres e homens não terminou. Trata-se de uma luta contínua e a nossa Justiça Eleitoral é bastante simbólica dessa luta. Não apenas por ter nascido junto com o advento do voto feminino, mas principalmente pelo exemplo que dá ao Brasil, afinal nosso quadro funcional sempre teve mais servidoras que servidores”, declarou o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), desembargador Wellington Emanuel Coimbra de Moura.

 

Projeto Justiça Eleitoral por Elas

Em junho deste ano, a presidência junto à Comissão Mulheres na Política do TRE-PR lançou o programa “Justiça Eleitoral por Elas”, sob coordenação da juíza de Direito, doutora Luciani Tesseroli Maronezi. O projeto visa incentivar e ampliar a participação feminina em espaços de decisão.

 

A doutora Luciani Tesseroli destacou, durante o evento, que o programa também tem o propósito de fomentar estratégias para o empoderamento e o protagonismo das mulheres. “O eleitorado brasileiro é composto 53% por pessoas do gênero feminino. Nós temos que nos unir e participar ativamente, não só da política, mas de tudo o que nos cabe”, disse.

 

Programação 

Em seguida, a coordenadora executiva do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Julianna Sesconetto, abordou as ações que vêm sendo realizadas pela Justiça Eleitoral para fomentar a participação das mulheres na política. “Estamos buscando uma sociedade mais justa, mais imparcial, para construirmos um mundo melhor”, afirmou.

 

A procuradora do Ministério Público do Paraná (MP-PR), doutora Maria Tereza Uille Gomes, parabenizou o TRE-PR pela iniciativa e comentou sobre o desafio histórico feminino de acesso ao voto e à educação, que vem sendo superado aos poucos. “Não basta as mulheres quererem esses espaços, elas também precisam saber se têm recursos, se têm uma forma de viabilizar essas candidaturas”, declarou. 

 

Lançamento do site

Na ocasião, foi lançado o site Justiça Eleitoral por Elas, que reúne informações sobre o projeto e seus objetivos. Além de contar com um resumo da história feminina na política brasileira e trazer conteúdos sobre a Ouvidoria da Mulher, lançada pelo TRE-PR em fevereiro deste ano.

 

Clique aqui e Acesse o site Justiça Eleitoral por Elas

 

Curso “Construindo Candidaturas 2022”

Foi divulgada também a edição 2022 do curso “Construindo Candidaturas”, que acontece de 26 de agosto a 30 de setembro. As inscrições podem ser feitas de forma on-line até o dia 10 de agosto.

 

Promovido pela Comissão Mulheres na Política em parceria com a Escola Judiciária Eleitoral do Paraná (EJE-PR), tem como objetivo aprofundar conteúdos relativos ao processo eleitoral e contribuir para a participação feminina na política. A capacitação é aberta para todas as pessoas que tiverem interesse em participar.

 

Carta aberta

Durante o encontro, foi lida e assinada ainda uma carta aberta, que dispõe sobre metas para promover a igualdade na política. O acordo foi firmado entre o TRE-PR, a Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Paraná (OAB-PR), o Ministério Público Federal (MPF), o Ministério Público do Estado do Paraná (MP-PR) e os Diretórios Estaduais dos Partidos Políticos do Estado do Paraná.

 

Entre as metas estabelecidas estão ampliar a participação das mulheres e enfrentar a desigualdade de gênero na política, bem como promover estratégias de superação da sub-representação feminina nos espaços de poder. Além de garantir:

 

no mínimo 30% dos recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha para as candidaturas proporcionais femininas;

 

reserva de 5% do Fundo Partidário destinado à manutenção de campanhas e incentivo de participação das mulheres em processos eleitorais;

 

tempo mínimo equivalente a 10% da programação que o partido tem para propaganda política, sejam destinados às mulheres;

 

vagas de candidaturas por mulheres de, no mínimo, 30%.

 

Texto: Carla Tortato

Revisão: Isabela Miranda e Caio Vinicius Silva

Fotos: Rubiane Kreuz e  Jessica Herlain

Secretaria de Comunicação: Marden Machado

SECOM/TRE-PR

 

 

Fonte: SECOM/TRE-PR

Data de Publicação: 26/07/2022